Captura de tela 2019-10-09 em 16.06.54.p

Fique por dentro

Site  -  Notícias atualizadas

Clique aqui! Ir para o site.

Videos - Deu positivo e agora?

Newsletter
Captura de tela 2019-11-08 em 08.50_edit

Doar pelo PayPal

Doar por QRCode

Organização Não Governamental - Fundada em 18 /07/ 1988.

CNPJ: 39.228.648/0001-55 

Utilidade Pública Municipal: Lei 5.512 de 17/09/1993.

Utilidade Pública Estadual: Projeto Lei 484 de 22/08/1996

 Lei 2.614 de 22/08/1996.

Registrada no CNES sob o nº7873794

 Rua Santo Antonio, 44, Jd. Carioca - 28080-525

contato@irmaosdasolidariedade.org.br  

 

Telefone: (22) 2733-9610

 Copyright © 2019 · Todos os direitos Reservados- Associação Irmãos da Solidariedade 

Direitos Humanos  

Estigma e discriminação

Apoioadores

Criação e desenvolvimento 

Profissionais do sexo enfrentam violência, HIV e gravidez indesejada no Malauí

Atualizado: 21 de Set de 2019


A fotojornalista Isabel Corthier conheceu profissionais do sexo envolvidas em um projeto para ajudá-las a ter acesso a serviços de saúde no sul do Malauí.

O Malauí, país no sudeste da África que fica entre Moçambique, Zâmbia e Tanzânia, tem uma das maiores taxas de incidência de HIV no mundo.


Ali, profissionais do sexo têm mais probabilidade de contrair o vírus. Taxas de outras infecções sexualmente transmissíveis e de gravidez indesejada também são altas.


Desde 2014, a organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) tem trabalhado com o Ministério da Saúde do Malauí e parceiros para ampliar os serviços de saúde voltados a profissionais do sexo, incluindo oferta de preservativos e acesso à PEP (Profilaxia Pós-Exposição de Risco), medicação que reduze o risco de transmissão de HIV depois de situações de possível contágio.


Corthier, a fotojornalista que acompanhou o projeto, tirou retratos de algumas dessas mulheres, resguardando sua identidade. Kate Ribet, da MSF, falou com elas e com outros trabalhadores da organização humanitária sobre suas histórias.


Os nomes das profissionais do sexo foram modificados para proteger sua identidade.


Bernadette nasceu em uma família de 11. Ela perdeu os pais quando tinha sete anos e foi criada inicialmente pela irmã, e depois pelos avós.


Com pouco suporte financeiro da família, ela passou fome na escola e começou a fazer sexo em troca de comida, canetas e livros. Logo engravidou e abandonou a escola aos 18.

Hoje, ela é mãe de seis crianças. Seu último parceiro era abusivo e a abandonou, então ela voltou a vender sexo em 2018, acreditando que essa era a melhor opção para sobreviver.


"Eu ouvi sobre os serviços da Médicos Sem Fronteiras em novembro de 2018, quando sua equipe foi a um bar compartilhar dados sobre testes para infecções sexualmente transmissíveis e HIV", ela diz.

"Foi a primeira vez que me deram informações sobre coisas como testes de HIV, saúde sexual. Antes disso eu não sabia de nada. Me senti liberta, feliz, porque estava ouvindo falar de coisas sobre as quais não tinha ideia."

"Com esses serviços, me sinto mais empoderada que antes e posso negociar proteção com meus clientes. Sei colocar uma camisinha direito e agora temos lubrificante para prevenir acidentes."


Entrevistas por Kate Ribet, fotos por Isabel Corthier.

Leia na integra essa matéria aqui

Fonte BBC NewsBraisl

17 visualizações1 comentário