O que são IST?

Perguntas frequentes

IST/Aids

O que são IST?


As infecções sexualmente transmissíveis (IST) são infecções causadas por vírus, bactérias ou outros micróbios que se transmitem, principalmente, através das relações sexuais sem o uso de preservativo com uma pessoa que esteja infectada, e geralmente se manifestam por meio de feridas, corrimentos, bolhas ou verrugas. Algumas IST podem não apresentar sintomas, tanto no homem quanto na mulher. E isso requer que, se fizerem sexo sem camisinha, procurem o serviço de saúde para consultas com um profissional de saúde periodicamente. Essas infecções quando não diagnosticadas e tratadas a tempo, podem evoluir para complicações graves, como infertilidades, câncer e até a morte. Usar preservativos em todas as relações sexuais (oral, anal e vaginal) é o método mais eficaz para a redução do risco de transmissão das IST, em especial do vírus da Aids, o HIV. Outra forma de infecção pode ocorrer pela transfusão de sangue contaminado ou pelo compartilhamento de seringas e agulhas, principalmente no uso de drogas injetáveis. A Aids e a sífilis também podem ser transmitidas da mãe infectada, sem tratamento, para o bebê durante a gravidez, o parto. E, no caso da Aids, também na amamentação. O tratamento das IST melhora a qualidade de vida do paciente e interrompe a cadeia de transmissão dessas infecções.




As IST são graves?


As infecções sexualmente transmissíveis (IST) são um grave problema de saúde pública porque: · Facilitam a transmissão sexual do HIV (vírus da AIDS); · Quando não diagnosticados e tratados a tempo, podem levar a pessoa portadora a ter complicações graves e até à morte; · Algumas IST, quando acometem gestantes, podem provocar o abortamento ou o nascimento com graves malformações.




Quais as conseqüências das IST?


Quando não tratadas adequadamente, as IST podem causar sérias complicações, além do risco de pegar outras IST, inclusive o vírus da AIDS. Essas complicações podem ser: · Esterilidade no homem e na mulher (a pessoa não pode mais ter filho); · Inflamação nos órgãos genitais do homem, podendo causar impotência; · Inflamação no útero, nas trompas e ovários da mulher, podendo complicar para uma infecção em todo o corpo, o que pode causar a morte; · Mais chances de ter câncer no colo do útero e no pênis; · Nascimento do bebê antes do tempo ou com defeito no corpo ou até mesmo a sua morte na barriga da mãe ou depois do nascimento.




Como fazer o tratamento das IST?


Cada IST tem um tipo de tratamento e só o profissional de saúde poderá avaliar a fazer essa indicação corretamente. Fazer o tratamento certo é: · Só tomar remédio indicado pelo serviço de saúde; · Tomar o remédio na quantidade certa, nas horas certas e até o fim, mesmo que os sintomas e sinais tenham desaparecido; · Evitar relação sexual nesse período e, se não der para evitar, só manter relações usando camisinha; · Voltar ao serviço de saúde ao terminar o tratamento, para fazer a revisão (controle de cura). E as mulheres, para fazerem também o exame preventivo do câncer de colo do útero (o médico dirá se esse exame pode ser realizado); ·Levar o parceiro sexual para ser tratado também.




Como fazer a prevenção das IST?


· A melhor forma de prevenir a transmissão das IST é usar sempre e corretamente a camisinha em todas as relações sexuais; · Não compartilhar agulhas e seringas com outras pessoas; · No caso de necessitar receber uma transfusão de sangue, exija que ele seja testado para todas as infecções que podem ser transmitidas pelo sangue.





Captura de tela 2019-10-09 em 16.06.54.p

Doar pelo Pagseguro

Newsletter

Doar por QRCode

Organização Não Governamental - Fundada em 18 /07/ 1988.

CNPJ: 39.228.648/0001-55 

Utilidade Pública Municipal: Lei 5.512 de 17/09/1993.

Utilidade Pública Estadual: Projeto Lei 484 de 22/08/1996

 Lei 2.614 de 22/08/1996.

Registrada no CNES sob o nº7873794

 Rua Santo Antonio, 44, Jd. Carioca - 28080-525

contato@irmaosdasolidariedade.org.br  

Telefone: (22) 2733-9610

 Copyright © 2019 · Todos os direitos Reservados- Associação Irmãos da Solidariedade